Você entende de aposentadoria?

As regras para pedir o benefício mudaram e agora o cálculo é mais complexo

Isabela Norton

A Medida Provisória publicada pelo Governo Federal este mês altera o modo de concessão do benefício da aposentadoria aos contribuintes do Instituto Nacional de Seguridade Social, o INSS. Para evitar rombo na Previdência Social, o resultado final do cálculo para conseguir o benefício agora será variável a cada ano, levando em consideração a expectativa de vida do brasileiro.

Antes, o contribuinte poderia se aposentar pelos seguintes critérios: I) idade mínima – 65 anos para homens e 60 para mulheres, com pelo menos 15 anos de contribuição. II) por tempo de contribuição – homens 35 anos e mulheres 30 anos, independente de idade. III) invalidez. IV) doença; em todos os casos havendo a possibilidade de conseguir o benefício parcial ou integral.

Oilma Benelli, cabeleireira, fez as contas de como se adaptar ao novo sistema. Com 52 anos de idade, ela já tem 30 de contribuição ininterruptos, e pode solicitar o pedido de aposentadoria. Porém, como a soma (idade + contribuição) ainda não completa os 85 pontos necessários, ela só pode pedir o benefício parcial, e não integral de restituição. “Ainda falta três pontos para completar os 85 que eu preciso. Completo eles no final de 2017. Prefiro trabalhar mais dois anos e conseguir o benefício integral do que receber menos.”

O processo de aposentadoria por invalidez ou doença permanece o mesmo. Porém, os dois outros critérios foram alterados. O cálculo para conseguir a aposentadoria integral agora é mais complexo e se baseia em um sistema de pontos. Para solicitar o benefício, o tempo mínimo de contribuição permanece o mesmo, 30 anos para mulher e 35 para homens, mas a soma com a idade do trabalhador deve ser de 85 pontos para mulheres e 95 pontos para homens, inicialmente. Os valores finais para cada gênero terão um aumento progressivo até 2022, quando chegarão a 90 pontos para mulheres e 100 pontos para os homens.

A mudança exige que o trabalhador demore mais tempo para se aposentar, evitando aposentadorias precoces, que geram o rombo financeiro vivido pela Previdência brasileira na atualidade. O economista Silvio Reis defende a postura do governo, justificando que é uma visão em longo prazo. “A expectativa de vida da população era muito menor quando esses valores iniciais foram estipulados”. Ele ainda completa que agora, “os números de entrada e saída de dinheiro da Previdência tendem a se equilibrar com esse novo cálculo”.

simulacao-aposentadoria-inss

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s